Confira os segredos do tradicional churrasco gaúcho.

O churrasco gaúcho é muito famoso, e há quem diga que é único, devido ao seu sabor diferenciado. Para chegar a esse ótimo resultado, não é só a carne que deve passar por cuidados especiais e ser bem escolhida. 

Entre as várias recomendações, está o cuidado com o fogo, com as facas e os instrumentos para assar.

Quer aprender a fazer um típico churrasco gaúcho? Então fique atento a estas dicas:

Escolha da carne

Essa é uma etapa muito importante em um churrasco gaúcho de sucesso. A preferência deve ser por carnes de coloração vermelha rosada e com gordura clara. Se o corte estiver vermelho escuro e com a gordura mais amarela, pode ser de um animal velho. 

Se possível, verifique a maciez da carne com o dedo indicador. Quando está muito dura, não serve para assar no fogo. Os cortes que vêm embalados ao vácuo também são indicados, porque mantém a carne fresca por mais tempo.

Facas bem afiadas

O cuidado com as facas é essencial. Estas devem estar sempre afiadas e ter boa empunhadura para manusear. 

O ideal é que o churrasqueiro tenha uma de tamanho grande para a carne (cerca de 30 a 40 cm) e outra de tamanho médio para picar os temperos, se necessário. Para guardá-las o importante é ter uma bainha de couro para proteger o fio.

Fogo bem feito

Como dizem os gaúchos: Quem assa churrasco é o fogo! 

Isso porque um fogo fraco pode estragar a carne. A dica é que o carvão seja aceso com antecedência, para que este libere a fumaça inicial que deixa gosto e aroma ruim no churrasco. 

A hora certa de colocar a carne é quando se formam as brasas e aparece uma camada de cinzas por cima delas. Depois, é só espalhar um pouco a brasa na churrasqueira e começar a assar.

Outro segredo é acertar a distância entre as brasas e a carne. Se o espeto estiver muito perto do fogo a carne vai queimar e não vai assar muito bem no seu interior. Se estiver muito longe vai cozinhar, mas perder o gosto. 

A distância ideal é mostrada quando a gordura pinga na brasa: não pode levantar labaredas ou demonstrar pouco fogo. Porém, isto melhora com a prática e a observação.

Espetos e grelhas

Os espetos com cabos de madeira protegem o assador. Existem em formatos largos ou duplos e permitem que a carne seja posicionada de qualquer lado. Servem para carnes menores, costelas, medalhões e aperitivos. 

Já as grelhas são indicadas para carnes maiores como picanha, maminha e contrafilé. Isso porque conserva o suco da carne e a deixa mais macia. Há quem faça a picanha no espeto mas isso pode deixar a carne mais dura e menos suculenta.

Sal grosso

Esse é o preferido e, muitas vezes, o único tempero do churrasco gaúcho. Porém, colocar o sal na carne crua pode deixá-la endurecida e seca. 

O indicado é levar a carne ao fogo e só depois que ela pegar cor deve-se passar o sal grosso ou a salmoura. Após salgar, o certo é voltar com o corte ao fogo e tirar o sal quando estiver esbranquiçado.

Vale testar as dicas no próximo fim de semana e fazer um bom churrasco gaúcho!

Voltar para o blog