Muitos churrasqueiros e assadores defendem, cada um à sua maneira, o uso de carvão ou de lenha para o seu churrasco. Qual é o melhor? Que tipo de lenha é adequada? Qual a diferença de briquetes e carvão? Enfim, há um número infinito de questionamentos que, quando falamos em churrasco perfeito, são todos válidos.

O Clube resolveu pesquisar e dar algumas dicas quanto ao uso dos materiais que irão influenciar diretamente na qualidade do nosso churrasco, ou seja, na qualidade do fogo.

Tanto a lenha quanto o carvão oferecem um ótimo sabor à carne. Quando falamos em carvão, ganhamos muito em praticidade. Afinal, em qualquer mercado próximo da sua casa é possível encontrar o saco do produto, limpo e pronto para o uso. Além de que, é fácil de acender e formar nossa brasa rapidamente.

Existem inúmeros tipos, mas de preferência aos de eucalipto. Estes têm boa resistência, durabilidade, queimam uniformemente, retêm mais calor e são mais “ecológicos”.

Existem também carvões em briquetes, feitos de pó de carvão, amido e, em alguns casos, barro. Também são muito bons, mas assam mais lentamente, ideal para assados que levam mais tempo de churrasqueira, como costela ou cupim.

A dica para garantir o melhor sabor às carnes é esperar que o braseiro fique em sua maioria incandescente, com uma fina camada branca por cima. Essa camada é potássio, e é nessa hora que garantimos os melhores sabores ao churrasco. Caso não alcance esse ponto, o carvão estará liberando gases os quais podem causar um sabor desagradável na carne.

blog3

Existe um grande segredo para manter a brasa sempre acesa e quente, no ponto ideal de calor: é nunca deixar de alimentá-la. Sempre coloque algumas pedras de carvão novas ao lado do seu braseiro e, conforme a necessidade, vá alimentando com essas pedras e mexendo lentamente para que este carvão incorpore na brasa. Nunca coloque em demasia pois isso fará com que a brasa fique abafada, esfriando sua churrasqueira e encruando sua carne num primeiro momento. Num segundo momento, quando esse carvão em demasia acender, o calor será alto demais de forma que irá queimar sua carne.

Para acender, use álcool gel ou álcool em pasta encontrado nos melhores mercados e distribuidores. São higiênicos e totalmente seguros. E lembre-se: acenda seu fogo no mínimo 40 minutos antes, para que se tenha um braseiro uniforme.

Quando falamos em lenha, isso exige mais prática do churrasqueiro, uma vez que o controle de calor é mais difícil que o carvão. Pode ser usada de duas maneiras: ao lado da carne, para que asse com a irradiação do calor das chamas, como no fogo-de-chão, ou queimá-la separadamente e ir colhendo as brasas que se soltam para colocar sob a carne, a tão famosa Parrilla à moda argentina e uruguaia.

blog2

O importante é que as chamas nunca toquem a carne. De preferência a lenha de eucalipto, pelos mesmos motivos do carvão de mesmo material. A lenha de pinus também é boa, o sabor de defumado fica mais forte, mas enjoativo com o tempo. Esse sabor semi defumado que a lenha confere à carne é o grande diferencial para os amantes do churrasco.

Ah, outra coisa: lembre-se sempre de que a lenha leva mais tempo que o carvão para formar a brasa e, se em um churrasco para 15 convidados que você usaria 1 saco de 5 kg de carvão, na lenha você irá precisar de pelo menos 3 vezes mais, ou seja, 15 kg.

Fontes

www.churrasconobrerj.com.br

www.ronaldorossi.com.br

Voltar para o blog

Tags: , , ,